:::O Impacto da Tecnologia da Informação nas Organizações

Neste trabalho, abordamos a força da Tecnologia da Informação nas empresas no mundo atual. É notório que a informação independe do AQUI e AGORA. A internet tornou-se uma ferramenta surpreendente e inovadora que une pessoas, em tempo real, em todo o planeta. Portanto, é necessário que as empresas tenham em seus quadros, pessoas qualificadas para exercer as tantas funções estabelecidas pela Tecnologia da Informação para que não venham a tornar-se obsoletas e até mesmo extintas.

Alunos:
Eduardo, Igor, Leandro, Maurílio, Uilson.

O IMPACTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES

1. A INFORMAÇÃO
Independentemente da época, o conjunto de informações gerado pela humanidade se disponibiliza no espaço virtual. O mais importante é a associação na mesma mídia, de voz, dados, imagens e texto. Um novo mundo se abre, pois pode – se tratar todas como Informação.
A Informação é cria para se produzir – Alto Custo fixo e produção, mas barata para se reproduzir custo variável de reprodução. A cena central desses setores é ocupada pela capacidade de produzir conhecimento e de aplicar tecnologia, que passa também a ter valor à rede.
INFRA – ESTRUTURA QUE PERMITE
CAPTURAR
TRANSMITIR
ARMAZENAR
RECUPERAR
COPIAR
MANIPULAR
VISUALISAR
RECEBER INFORMAÇÕES

O mercado antes físico passa a ser cibernético. O uso da Informação é um conjunto de natureza não destrutiva. Este é o principal motivo do valor da Informação.
VISÃO – Torna-se Referência Nacional em prover soluções em Tecnologia da Informação através de implantações de padrões de qualidade de desenvolvimento aceitas e validadas internacionalmente.
MISSÃO – Prestam serviços especializados em engenharia de SOFTWARE utilizando-se de tecnologias avançadas, de maneira Inovadora e com qualidade, agregando valor aos nossos clientes, parceiros e colaboradores através da Informação.
EX: Informação na Área Bancária se alastra assustadoramente, Porém as Instituições Financeiras devem tomar cuidado de não deixar fora aquelas pessoas (Aposentadas, Pessoas menos instruídas) que não dominam a T.I, muitas delas querem ser atendidas por pessoas.
As Empresas estão preocupadas em atender com mais rapidez e qualidade de serviços e economia, para inserir na Tecnologia de Informação.

2. REDE DIGITAL DE VALOR UMA NOVA COMERCIALIZAÇÃO?
Surge então um novo modelo de negócios, a Economia Digital, A Rede Digital de valores RDV, Esta Rede engloba e articula. virtualmente, parceiros, clientes, Informes diários e Operadores logísticos de uma mesma cadeia de negócios.
À Implantação destas RDVs vem ocorrendo de forma cautelosa. O Pão de Açúcar e as Lojas Americanas estão operando como Informe diário e Operadores Logísticos, e tendem a Implantar uma nova RDV, para racionalizar os seus negócios.
Neste novo cenário, as Empresas realizando esses investimentos em sistemas Informatizados, de automação e produtos em geral, ou seja, Tecnologia de Informação não podem deixar de conhecer as opções Tecnológicas e ter a solução para o mercado.
EX: Rede Digital (recarga de telefonia Pré Paga)
Em parcerias com as operadoras de telecomunicações realiza a recarga digital de Pré Pago realizando um trabalho de Marketing e Vendas com a inovação de recarga Digital (SUPER MINAS).
EX: Rede Digital (Interligar Portos)
Os Portos Brasileiros serão interligados por uma Rede Digital, o que permitirá as autoridades de BSB conhecer praticamente ON-LINE, a situação de cada unidade das Empresas Brasileiras.

3. ESTRATÉGIA EMPRESARIAL
As altas taxas de crescimento da Economia Digital, e os valores de mercado das empresas virtuais têm induzido alguns executivos dos setores tradicionais a alterarem suas estratégias Empresariais em relação à Economia Digital.
Existem Empresas que operam exclusivamente no mundo virtual, e transferem para terceiros as operações de conexão com o mundo real.
A AMAZON.COM comercializa no ambiente virtual da INTERNET, mas a entrega dos objetos concretos. Os livros são realizados por terceiros.
CONCEITO: Estratégia Empresarial São partes integrantes do pensamento empresarial, conhecer a natureza do próprio negócio e a potencialidade do Mercado e da Empresa, visualizar o futuro e se preparar para enfrentá-lo, e conhecer mais o fundo a natureza de seus negócios.

4. O IMPACTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES
4.1 INTRODUÇÃO

As alterações estão ocorrendo nos principais pilares de qualquer empresa.
• Negócio
• Produção
• Gestão
Mesmo assim algumas empresas usavam, até recentemente, pouca tecnologia, como as agrícolas, estão sendo obrigadas a fazer uso da tecnologia de uma forma mais intensa para obter mais competitividade e qualidade e permanecerem vivas no mercado.
No entanto introduzir tecnologia da informação não é igual a fazer uso de poções mágicas, requer planejamento judicioso e análise dos custos envolvidos comparados com as vantagens mercadológicas almejadas.
Mas se tem vendido produtos de tecnologia da informação como se fossem poções mágicas que tudo se resolve.
Exemplo: Web Site.
Desde a criação do primeiro computador pessoal Apple II, há quase vinte anos atrás, a informática não para de crescer.
Em setembro de 2000, o governo brasileiro emitiu o documento chamado de “Sociedade da Informação – Livro Verde”.

Este documento contém de forma articulada e abrange todos os aspectos considerados relevantes para a Sociedade da Informação no Brasil.
A nova economia inclui a transformações tecnológicas de processos e produtos, a produção e a gestão baseadas em conhecimento. Tem-se a dois movimentos.
O primeiro: é a introdução da tecnologia de informação na economia industrial e na agrícola.
O segundo: são os produtos específicos da indústria informacional, virtual ou digital, dispositivos que processam a informação ou próprio resultado da digitação e processamento da informação.

5. NA ECONOMIA-A NOVA ECONOMIA
Há muito se tem continuo e crescente processo de virtualização de atividades do mundo real. Mas só ultimamente tem se tornado claro e presente no cotidiano.
No espaço virtual vêm sendo criados vários portais e páginas, que abrigam atividades econômicas até então só existentes no mundo real.
O desenvolvimento de novos meios e técnicas de telecomunicações (satélites, fibra ótica e sem fio), a articulação destas com as tecnologias da informação completam a plataforma cibernética e multifuncional sobre a qual constrói um mundo virtual.
A internet realiza esta plataforma cibernética, de forma ainda primitiva, mas é suficiente para impulsionar o desbravamento de novas fronteiras virtuais, como um bandeirante. Novas tecnologias, dispositivos, ferramentas e processos mais adequados as realização de atividades no espaço cibernético e de comunicação entre o mundo real e o virtual devem ser introduzidos brevemente, tornando universal e mais fácil acesso ao mesmo.

6. IMPACTO DA TECNOLOGIA NAS ORGANIZAÇÕES
A humanidade assistiu ao longo do século XX várias evoluções tecnológicas que permitiram a conquista do espaço. Os satélites de telecomunicações são, talvez, os maiores frutos dessa conquista. Além de permitirem a retransmissão de programas da televisão educativa e comercial, eles abriram novas perspectivas para a comunicação telefônica, a transmissão de dados, fax internet e muitos outros serviços especializados.
A invenção de máquinas e mecanismos como a lançadeira móvel, a produção de ferro com carvão de coque, a máquina a vapor, a fiandeira mecânica e o tear mecânico causam uma revolução produtiva. Com a aplicação da força motriz às máquinas fabris, a mecanização se difunde na indústria têxtil e na mineração. As fábricas passam a produzir em série e surge a indústria pesada (aço e máquinas). A invenção dos navios e locomotivas a vapor acelera a circulação das mercadorias, essa evolução trouxe, porém longo do processo (que de acordo com alguns autores se registra até aos nossos dias), a suplementação do trabalho humano, havendo assim um impacto no processo produtivo econômico e social.
A rapidez dos avanços tecnológicos tem provocado mudanças nos processos produtivos, nas formas de consumo, de comunicação, nos processos educacionais, nos sistemas de ensino e de aprendizagem, afetando o meio ambiente e todos os segmentos sociais. Torna-se essencial, portanto, um amplo estudo sobre essas transformações da sociedade, considerando as assimetrias de poder e as contradições do sistema, buscando o respeito à diversidade cultural. É de extrema relevância pesquisar como as inovações tecnológicas são/estão inseridas na vida das pessoas, nas suas experiências cotidianas, na maneira de agir e interagir, no modo de aprender e de significar o mundo.
É importante ressaltar que tecnologia também está impondo uma alteração sensível no perfil e nas habilidades da mão-de-obra de todos os níveis nas empresas, exigindo não apenas o retreinamento do pessoal, mas também sua reeducação e, eventualmente, sua substituição. Isso para que se possa manter a competitividade.

7. ÁREAS DE CONFLITO NAS PRÁTICAS DO PASSADO E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO
7.1. CONFLITO EM NEGOCIAR COM PESSOAS E MÁQUINAS.

Como as máquinas se tornaram mais inteligentes, as poucas pessoas que as usarão se tornaram mais inteligentes e rápidas.

7.2. CONFLITO ENTRE TEMPO E DINHEIRO
Este relacionamento está sendo revertido. Tempo é crucial porque assegura vantagens que nunca serão mensuradas por dinheiro. Inteligência, sobrevivência, adaptabilidade, lealdade e poder para implementar são alguns dos termos que não podem ser medidos pelo dinheiro. Então, no futuro, o gerenciamento baseado no tempo substituirá o gerenciamento baseado no dinheiro.

7.3. CONFLITO ENTRE PADRONIZAÇÃO E FLEXIBILIDADE
A realização do passado foi o desenvolvimento de super-burocracias. As organizações não estão aptas a aceitar o fato de que não-equilíbrio transformou-se na condição padrão de operação. Flexibilidade é o caminho para adaptar-se, sobreviver e prosperar em uma época de transição.

7.4. CONFLITO ENTRE FUNÇÕES E SISTEMAS
As funções organizacionais serão feitas de uma maneira diferente no futuro. Ao invés da departamentalização de funções e da inflexibilidade rotinizada, a visão de sistemas, que integra informação e conhecimento de todas as funções significando uma contínua comunicação, vai prevalecer no futuro.

“Toda revolução pode ser traumática no ponto de vista sociológico, mas faz parte da evolução humana.”

8. IMPACTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA COMERCIALIZAÇÃO
Na economia industrial, o produtor tem o poder de criar.
O consumidor tem o poder de comparar e acessar vários mercados.
O mundo virtual, atualmente:
Concede amplo acesso à informação, ou seja, permite ao consumidor pesquisar preço e valor agregado.
O consumidor escolhe o lugar mais conveniente para adquirir produtos e serviços.
No mundo virtual, o poder desloca-se para o consumidor.
O comércio eletrônico possibilita o conhecimento de novos hábitos individuais para cada consumidor.
A combinação de computadores modernos com: capacidade de armazenamento de informações meio de comunicação adequados e softwares denominados CRM (customer relationship management) permite extrair conhecimento individualizado em cada cliente que acessa determinado site.

8.1. LADO RUIM
Em nossa aldeia global, a cada dia que passa tem-se menos privacidade.
Outras características:
Desterritorialização e a desconexão temporal das atividades
Ou seja, permite ao consumidor ou cliente de uma loja virtual que execute atividades mercantis em qualquer lugar do mundo, a qualquer hora do dia.
Portanto, as relações comerciais da cadeia de negócios estão livres da exigência do AQUI e do AGORA, pois as transações podem ser realizadas sem a presença física dos envolvidos em um mesmo local.
Características do mundo virtual na comercialização:
Toda empresa na internet é global e seus produtos têm grau universal de exposição.
Custo reduzido quando comparado aos dos empreendimentos do mundo real.
Eliminação da necessidade do AQUI e do AGORA para a execução das atividades.
Facilidades de acesso às informações concedidas aos consumidores pela internet:
Compram apenas conteúdo e não embalagem
O consumidor quer:
A música e não o CD
A notícia e não o jornal
Um jogo e não CD-ROM
No mundo digital esse tipo de comercialização é possível.
A execução de atividades no espaço cibernético não exige o deslocamento do consumidor de um ponto a outro, o que reduz tempo e custos associados à busca, comparação e aquisição.

8.2. PORTAIS
Em um único endereço virtual instalam-se várias lojas e fornecedores de diferentes produtos.
Com isso, o volume de acessos aos portais é bem maior do que em uma loja isolada. O mesmo fenômeno acontece nos shopping centers, que propicia a realização de maior número de negócios em um único local virtual.

8.3. RISCO
A segurança dos meios de pagamento impede o crescimento do comércio eletrônico.
Devido à incerteza, seu poder de informação e de conhecimento e não ser propriedade de ninguém, a internet tem sido um terreno alegal.
Mas já existem ações para a sua regulação.
Exemplo:
MUNDO – em 1997 o presidente Bill Clinton emitiu regras para o comércio eletrônico global.
BRASIL – Foi criado o Comitê Gestor para discutir e propor regras que regulem esse novo tipo de atividade, contando com a participação de:
Representantes do Governo:
Empresas e Bancos.

9. IMPACTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA LOGÍSTICA
A Logística é a área da gestão responsável por prover recursos, equipamentos e informações para a execução de todas as atividades de uma empresa.
Intermediários que apenas disseminam informações do produto, ou seja, recebem as encomendas e as entregam estão fadadas ao fracasso.
Caso exerçam atividades de pós-vendas tais como as de assistência técnica, continuarão existindo.
As empresas virtuais não entregam os produtos de natureza física aos consumidores, um operador logístico o faz e conecta o mundo virtual com o real.
As empresas transportadoras e Correios têm sido a solução viável e mais simples para exercer o papel de operador logístico.
Capilaridade – No mundo financeiro significa você aparecer, sua empresa estar presente, até porque se uma pessoa ou uma empresa não estiver no local corre o risco de perder posição para a concorrência.
Operador logístico é responsável:
pela capilaridade necessária e os meios de transporte adequados;
associa a operação dos serviços de armazenamento;
pelo preparo de carga;
pela gestão; e
pela transmissão das informações entre fornecedores, produtores, clientes e agentes financeiros.
Nesta solução é necessário que os sistemas de informação estejam integrados e conectados.
A tendência é que as empresas do segmento de transporte migrem para a posição de operador logístico.

10. IMPACTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS ATIVIDADES FINANCEIRAS
A virtualização da moeda vem ocorrendo há muito tempo.
O cartão de crédito e débito são exemplos claros que permitem a realização de um conjunto de operações financeiras de forma totalmente digital.
Diferenças do mundo virtual e virtual:
Débito em conta e boleto bancário
Cartão de crédito e cartão de plástico com chip
Carteira eletrônica
Cartão virtual
O Brasil é pioneiro no processo de virtualização de suas atividades e, por isso, é bastante avançado em relação ao mundo.
Na década de 80, decorrente da forte participação dos bancos da indústria da informática brasileira.
Ocorreu durante o período de grande inflação.
As atividades financeiras dentro do espaço virtual requerem alto grau de confiabilidade e segurança.
São necessários investimentos em criptografia e certificação que tornem as transações comerciais mais seguras.

11. IMPACTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA COMUNICAÇÃO
A implementação do espaço virtual em amplitude global requer a integração:
Integração de voz, dados, imagem e texto, em um mesmo conteúdo informacional denominado multimídia
Desconexão espaço-temporal do processo de comunicação tem induzido grande revolução nos processos de comunicação:
interpessoal, interempresas e entre empresas e pessoas
Uso de correio eletrônico (e-mail) vem substituindo os meios tradicionais há muito utilizados
Carta;
Telegrama;
Fax;
Telefone;
Malote de correspondências;
A barreira de acesso ao uso do correio eletrônico só será resolvida após:
A criação de dispositivos mais simples de acesso à internet ao público em geral.
Fornecimento de endereço eletrônico pessoal desvinculado de provedores, como se fosse um CEP digital
Comunicação das transações comerciais entre empresas
Têm-se realizado através de um conjunto de regras das Nações Unidas para o Intercâmbio Eletrônico de Dados para Administração, Comércio e Transporte, mais conhecido como EDIFACT (“Eletronic Data Interchange for Administration, Commerce and Transport”), padrão internacional de documentos comerciais virtuais.
Esta evolução tem contribuído para aumentar a eficiência e a eficácia, ao mesmo tempo, aumenta a qualidade e a competitividade empresarial
Com a universalização do acesso ao espaço virtual, temos a diminuição drástica do volume de papel nas transações bancárias.
As empresas devem reconhecer as vantagens da virtualização de seus processos de comunicação empresarial em nível interno e externo.
Portanto, cabe à sociedade, às empresas e ao governo empreender ações implementadoras da Sociedade da Informação para que o Brasil não fique em posição desfavorável no contexto mundial.

12. IMPACTO NA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA GESTÃO
A informação tornou-se um recurso estratégico imprescindível para as organizações e o crescimento de sua importância pode ser explicado pela busca constante por melhores resultados, sustentado pelo crescente desenvolvimento tecnológico, que possibilitou a transformação das organizações, fundamentalmente no que diz respeito à sua estruturação, divisão do trabalho, acompanhamento de processos e novas formas de coordenação. O surgimento da Intranet e Internet permite melhorar ainda mais o acompanhamento, o controle e a gestão da empresa, decorrente da velocidade de acesso e transmissão da informação nas redes.
A Benetton, em sua sede na Itália, tem a direção e os processos de criação, de marketing e tecnológicos; empregando nessas atividades cerca de 300 pessoas. Sob ordem da matriz a sua fábrica, localizada na Califórnia, com um total de 800 empregados, executa as operações, estamparia e corte, segundo as especificações e os desenhos realizados na matriz e transmitidos via rede. Os tecidos são enviados para 450 oficinas de costura, no Sudoeste Asiático, contratadas pela matriz, que empregam 25.000 pessoas. Dessas oficinas, os produtos acabados seguem para 4.500 lojas, localizadas em 50 países, empregando 40.000.
Entretanto, em muitas empresas, os Sistemas de Apoio á Decisão ainda são precários. Poucos apresentam as informações em tempo real, ou utilizam sistemas amigáveis como touch screen, reconhecimento de voz, ou mesmo leitura de códigos de barra. E muito poucos disponibilizam informações em âmbito externo à empresa, ao público em geral, através da Internet.
Durante muito tempo, a Tecnologia da Informação – TI foi tratada e operacionalizada pelas empresas com base em visão muito estreita, que a situava apenas em um pequeno mundo circunscrito a um Centro de Processamento de Dados com pessoas altamente especializadas, respondendo por suas funções. Este período foi caracterizado pelo custo elevado na aquisição de equipamentos de informática e manutenção de uma equipe especializada no trato com as novas tecnologias.
Com o passar do tempo, a redução dos custos dos equipamentos de informática possibilitou que um número cada vez maior de empresas viesse a ter acesso a estas tecnologias. Diante deste fato e aliado às transformações pelas quais o ambiente empresarial vem passando ao longo dos últimos anos, o simples fato de ter uma boa estrutura de informática deixou de ser um fator que diferenciasse as empresas na busca e manutenção de alguma vantagem de ordem competitiva nos mercados em que atuam, tendo como ponto de partida para a obtenção daquele elenco de vantagens os recursos tecnológicos de que dispõem.
Em um ambiente cada vez mais competitivo, as organizações dependem cada vez mais do que os sistemas de informações possam fazer por elas, mas os investimentos em TI não têm gerado o retorno esperado pelas empresas. Isto pode estar relacionado à falta de uma estratégia objetiva de implantação destas tecnologias, pela desconsideração de aspectos comportamentais e políticos envolvidos na implantação de um sistema de informações em uma organização e pela valorização apenas da tecnologia (hardware) e desconsideração da gestão da informação.
A globalização e a Internet expandiram de forma assustadora o ambiente empresarial. É de muita importância que, no mundo competitivo de hoje, os executivos não utilizem apenas informações limitas ao ambiente interno da empresa. Entretanto o que se verifica é que apenas 24% dos sistemas têm acesso a informações externas.

12.1. NÍVEIS DOS SISTEMAS EMPRESARIAIS
Os Sistemas Empresariais podem ser representados com em uma pirâmide. No nível mais básico, ou operacional, estão os sistemas transacionais de gestão empresarial e os integrados, tipo ERP (Enterprise Resource Planning), através dos quais são introduzidos os dados.
No nível seguinte estão os Sistemas de Suporte à Decisão, que utilizam o conceito de Data Mining, onde os grandes bancos de dados da empresa são “minerados” em busca de informações importantes, padrões comportamentais ou dados que guardam um relacionamento entre si. A essência do Data Mining é analisar informações que já foram coletadas (dados estáticos). Este nível é considerado o nível tático.

13. IMPACTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA PRODUÇÃO
Aos poucos a tecnologia da informação foi sendo introduzida na produção. Controles numéricos de máquinas-ferramenta onde o operador realiza algumas ações, como iniciar e finalizar a realização da operação de tornear peças, por exemplo. Hoje, vários tipos de automações e robôs são introduzidos nas linhas de produção das fábricas. A gestão da produção também foi contemplada com inúmeros empregos de tecnologia de informação. O emprego da tecnologia de informação na produção, na organização e na gestão e na gestão é um dos principais fatores de aumento de produtividade da economia industrial.
Um estudo inédito do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) mostra que as empresas que investem em tecnologia da informação (TI) são 13,24% mais produtivas.
É a primeira vez que um instituto de pesquisa mostra, por meio de pesquisa em campo, o impacto positivo das máquinas no processo produtivo.
Aos poucos, pequenas e médias empresas também começam a fazer parte do time que busca ganhos de produtividade um dos principais indicadores para fazer a avaliação do desempenho de uma companhia.
Quanto maior a produtividade, melhor. Afinal, isso significa que os funcionários estão produzindo mais durante a mesma jornada de trabalho.
A pesquisa do Ipea acompanhou o desempenho de 26.776 indústrias de transformação entre 2001 e 2003.
Entre as firmas de grande porte, 16% usam TI, índice que cai para 10% e 4% entre as médias e pequenas empresas, respectivamente.

14. REFERÊNCIAS
MONTEIRO, Jorge. Gestão da Tecnologia como parte da estratégia competitiva das empresas.

15. OUTRAS FONTES
Internet

About these ads

2 Comentários

Arquivado em Tecnologia da Informação

2 Respostas para “:::O Impacto da Tecnologia da Informação nas Organizações

  1. Ana Carolina

    ESTOU FAZENDO MEU TCC RELACIONADO COM TI TBM…REALMENTE SERÁ UM SALTO NA ATUALIZAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO NOSSO VAREJO!

  2. Sim senhora!!!!
    ai esta toda a imforamação que eu estava a procurar e encontrei todinha neste site…
    muito brigada pela matéria.

    espero q ponham mais temas aliciantes…
    obrigada.

    pessoal. aqui vocês encontram o q proucuram

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s